sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A IMPORTÂNCIA DO PAI NO DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL DA CRIANÇA





O pai é extremamente importante para o desenvolvimento saudável da personalidade, pois é ele quem dá equilíbrio à relação simbiótica que a criança desenvolve com a mãe.
O amor da mãe proporciona acolhimento, cuidados, proteção e, se não houver um ponto de equilíbrio entre a mãe e o bebê, pode ocorrer um cerceamento inconsciente do desenvolvimento das habilidades da criança e da sua independência física e emocional.
O amor paterno proporciona também proteção e cuidados, porém impulsiona a criança para a vida, encorajando-a para experiências que lhe mostrarão suas potencialidades e seus limites, dando a ela a proteção e a orientação adequada para isso.
Para os meninos, o pai é a figura com a qual eles se identificam, imitam, admiram e elaboram sua identidade masculina. Cabe ao pai, passar os valores da hombridade !
Para as meninas, o pai é o legitimador da feminilidade. É o primeiro homem mais importante para elas, através dele, elas se sentem femininas e gostáveis.
É muito importante que o pai participe da vida do bebê, desde o nascimento, que ajude a dar banho, trocar, ninar, para que a criança sinta sua figura forte e protetora desde o início. Esse contato irá auxiliar no desenvolvimento da autoestima e da autoconfiança.
Quero parabenizar os papais, pelo seu dia que se aproxima e lembrá-los da sua importância e do seu papel no desenvolvimento saudável dos seus filhos!
Vejam como esse lindo garotinho da foto, se sente confortável e protegido nos braços fortes do papai!

3 comentários:

  1. Sempre achei que a figura paterna é indispensável para um melhor desenvolvimento da criança, mas tenho uma dúvida se o pai não for uma figura positiva, for agressivo ou omisso, seria um agravante para o desenvolvimento de uma criança? Bjs

    ResponderExcluir
  2. Beth,
    Quando o pai não é uma figura positiva, existe a possibilidade de uma outra figura masculina assumir parte desse papel, um avô, um tio ou, até mesmo um irmão mais velho, contudo essa pessoa só suprirá parte das necessidades da criança, no que se refere ao amor paterno.

    Entretanto, é importante salientar que a mãe não deve colocar o filho contra o pai, mesmo que ele não seja um pai satisfatório, cabe a ela, a criança, decidir se o amará ou não.

    Quando o pai é omisso ou agressivo,e não há uma outra figura masculina positiva, pode ocorrer insegurança, agressividade e deficiência na autoestima.

    Obrigada por participar do nosso blog!

    ResponderExcluir
  3. Beth,
    Quando o pai não é uma figura positiva, existe a possibilidade de uma outra figura masculina assumir parte desse papel, um avô, um tio ou, até mesmo um irmão mais velho, contudo essa pessoa só suprirá parte das necessidades da criança, no que se refere ao amor paterno.

    Entretanto, é importante salientar que a mãe não deve colocar o filho contra o pai, mesmo que ele não seja um pai satisfatório, cabe a ela, a criança, decidir se o amará ou não.

    Quando o pai é omisso ou agressivo,e não há uma outra figura masculina positiva, pode ocorrer insegurança, agressividade e deficiência na autoestima.

    Obrigada por participar do nosso blog!

    ResponderExcluir